Tour Overview

1º Dia – Lisboa / Óbidos / Nazaré / Tomar / Coimbra.

Partimos de Lisboa em direção à vila medieval de Óbidos, a vila das Rainhas,
Entre igrejas, cruzeiros, paços e solares, a comunidade judaica instalou-se com os seus negócios na antiga almedina. Na Rua Nova encontramos ainda alguns dos vestígios dessa presença, em particular o antigo templo hebraico.Depois de Óbidos saímos rumo à vila piscatória da Nazaré que ficou mundialmente famosa devido às ondas gigantes surfadas por Garret MacNamara. Subimos ao “sítio” da Nazaré onde apreciamos a espetacular vista sobre a praia, o porto de pesca e de recreio.A nossa viagem continua, agora em direção a Tomar, sede da mais conhecida organização militar da Idade Média, a Ordem dos Templários. A nossa visita começa na Sinagoga de Tomar, uma das mais antigas do país.
O percurso continua na Praça da República onde aproveitamos para apreciar a fachada manuelina da Igreja de São João Batista e as janelas dos edifícios antigos que são um bilhete postal desta cidade à beira do rio Nabão.
Prosseguimos para o Castelo e Convento dos Templários, sede da Ordem do Templo, mais tarde Ordem de Cristo.
Chegada a Coimbra e alojamento.

2º dia – Coimbra / Lourosa de Besteiros e Seia.

Coimbra, cidade universitária, com mais de dois mil anos de História tem um conjunto histórico-cultural classificado como Património Mundial da Unesco. O nosso percurso inicia-se na Judiaria Velha, Judiaria Nova, Igreja de Santa Cruz (panteão dos dois primeiros reis de Portugal).
Vamos conhecer uma das mais antigas universidades europeias, a Universidade de Coimbra, e a sua extraordinária Biblioteca Joanina, expoente do barroco português.Estamos de partida para Seia.
Da parte da tarde chegamos a uma pequena localidade da serra do Caramulo, Lourosa de Besteiros, onde marcamos encontro com mais um mistério criptojudaico. A visita será acompanhada pelo engenheiro Luís Filipe Pereira, autor do livro “O Leão de Judá rugiu em Lourosa de Besteiros” que nos explicará o legado encontrado em redor da “Casa Grande” e a investigação que, entretanto, tem sido feita com a colaboração do professor António Domingos Pereira, de modo a confirmar a existência de um complexo sistema social e administrativo composto pela sinagoga, tribunal, cadeia e o cemitério judaicos.
Chegada e alojamento em Seia

3º Dia – Seia / Cabanas de Viriato / Valezim / Cabeça / Loriga / Alvoco da Serra / Sabugueiro e Seia.

Oferecemos, com este roteiro, a magia da simplicidade e a oportunidade de participar em festas e tradições seculares ( conforme a época e estação do ano).
Aproveitamos o alojamento em Seia para visitarmos a cidade que ainda mantém tradições ancestrais. Do seu património edificado destacamos a Igreja Matriz, a da Misericórdia, os Paços do Concelho, o Pelourinho e as muitas casas senhoriais, símbolos do poder económico que, outrora, a pastorícia e a tradicional indústria de lanifícios deram a esta região. .Prosseguimos para Cabanas de Viriato e visita à casa de Aristides Sousa Mendes.
Regresso a Seia e almoço na Quinta do Crestelo.Na aldeia de Loriga, instalada num alongado esporão encaixada nos flancos do planalto superior da serra da Estrela, localiza-se a única praia fluvial situada num vale glaciar.

Seguimos para Alvoco da Serra, localizada entre Loriga e Unhais da Serra. Os recursos naturais e a força dos homens fizeram desta povoação, até meados do século XVIII um importante centro de lanifícios.

A aldeia de Cabeça, localizada num morro granítico, está rodeada de socalcos irrigados por um complexo sistema de canais. As casas rústicas feitas de xisto constituem um verdadeiro ex-líbris da povoação. A Freguesia de Cabeça é conhecida pelas sopas caseiras feitas pela população.

Rodeada de carvalheiras e de soutos antigos Valezim , reza a lenda, teria sido a terra do chefe dos Lusitanos, Viriato, no tempo do domínio romano.
Perto das cascatas (de Fervença e Covão da Ursa), encontramos a aldeia mais alta de Portugal (1080 metros): o Sabugueiro.
Os moinhos de água, o forno comunitário e a sua igreja matriz. No “Forno Velho”, transformado num espaço museológico, onde podemos conhecer a vida desta população, pastores e agricultores, marcada pela coragem e resistência.
Chegada a Seia e alojamento

4º Dia – Seia / São Martinho / Santa Marinha / Linhares da Beira / Gouveia / Meios / Belmonte.

São Martinho foi uma das mais prósperas e antigas terras do concelho de Seia. Ainda hoje é possível ver registos que demonstram a vivência de uma antiga comunidade de cristãos-novos e judeus, que dinamizaram a economia local.
Em Santa Marinha fixaram-se, desde tempos recuados, os judeus, havendo registos de arrematação de direitos reais na primeira metade do século XV pelo judeu Salomão Navarro.Chegamos a Linhares da Beira integrada no Parque Natural da Serra da Estrela, deve o seu nome ao linho que ali se produzia. Destacamos o Bairro Judeu ( na Rua do Passadiço) a que se acede pela “ Casa do Judeu” que terá sido uma antiga Sinagoga.De seguida vamos em direção à “Cidade Jardim”, Gouveia, na vertente norte da Serra da Estrela, que apresenta vestígios de uma comunidade judaica bem organizada, associada então à indústria dos lanifícios.

Partimos para a aldeia de Meios e visitamos o Museu de Tecelagem. Esta antiga fábrica de lanifícios conserva os teares originais recuperados e utilizados ainda na produção do famoso cobertor de papa.
Chegada a Belmonte e alojamento na Pousada Convento da Nossa Senhora da Esperança.

5º dia – Belmonte / Caria / Colmeal da Torre e Sortelha.

A vila de Belmonte, integra a rede dasaldeias históricas de Portugal. A sua Sinagoga, Beit Eliahu” (Filho de Elias), localiza-se numa das ruas da antiga judiaria e é neste local que começa a nossa visita.
Visitamos ainda o Museu Judaico (único em Portugal) que retrata a história da presença sefardita em Portugal, os seus usos e costumes. Integra também um memorial sobre as últimas vítimas da inquisição. Vamos conhecer, igualmente, o Museu dos Descobrimentos – Centro Interpretativo à Descoberta do Novo Mundo e oMuseu do Azeite.Próxima de Belmonte, visitamos a pequena vila de Caria tem um espólio histórico muito interessante e do qual destacamos: a Casa da Torre; a Igreja matriz da Nossa Senhora da Conceição, a “Casa da Roda”.Sortelha (Sortícula ou Sórtija) cristalizou no tempo, fenómeno que lhe atribuiu um valor incalculável. A visita começa pelo Castelo e Torre de Menagem, onde podemos ver outras povoações que, na Idade Média, tiveram um importante papel defensivo da zona raiana.
Chegada a Belmonte e alojamento na Pousada Convento da Nossa Senhora da Esperança.

6º Dia – Castelo Novo / Monsanto / Idanha-a-Velha / Castelo Branco.



Nas ruas estreitas de Castelo Novo, as casas tipicamente beirãs, de granito e sem reboco, são a identidade da aldeia. O pelourinho, a Casa da Câmara/ Paços do Concelho e Cadeia do tempo de D. Manuel I e o Chafariz barroco, do reinado de D. João V são alguns dos monumentos a visitar.Monsanto é conhecida como a “aldeia mais portuguesa de Portugal”. Monte Sancto, doado no século XII ao Mestre da Ordem dos Templários, Gualdim Pais, terá sido, na sua origem, um castro lusitano famoso pela resistência aos romanos que os sitiaram durante 7 anos.Agora em Idanha-a-Velha (Egitania ou Antanya), município romano e terra de Templários.
A visita começa pelo Largo do pelourinho, antiga casa da Câmara e Cadeia e continua no Castelo dos Templários e Igreja de Santa Maria.

De regresso a Belmonte paramos na bonita cidade de Castelo Branco. Cidade histórica da Beira Baixa, possui velhos solares, ricas igrejas e belos jardins. Destacamos o antigo Paço Episcopal, construído em 1596, e o famoso jardim barroco com lagos, cascatas, repuxos e estatuárias únicas.
Chegada a Belmonte e alojamento na Pousada Convento da Nossa Senhora da Esperança.

7º Dia – Gardunha / Castelo de Vide / Marvão / Évora.



Deixamos a Beira Baixa e rumamos em direção ao Alto Alentejo, Castelo de Vide, burgo medieval de grande importância defensiva, possui uma riqueza patrimonial que testemunha a presença de diferentes povos e culturas.
A nossa visita centrar-se-á no núcleo histórico. Percorremos as ruas onde se localizaria a antiga judiaria, visitamos a Sinagoga, cujo museu integra vários conteúdos expositivos sobre a História dos Judeus e a diáspora. Seguimos para a oficina – museu do Mestre Carolino.No final do dia, já em direção a Évora, paramos em Marvão um dos mais importantes pontos de entrada dos judeus em Portugal após o Édito de Alhambra, em 1492, que expulsou os judeus de Espanha.Chegamos a Évora , a “cidade-museu”. Fazemos um périplo pelo centro da cidade e vamos conhecer o Templo de Diana (o vestígio mais importante da ocupação romana, dedicado ao culto imperial), a Sé de Évora (importante catedral, em estilo gótico), a Capela dos Ossos e a Universidade (fundada no século XVI ).
Percorremos a antiga judiaria, uma das maiores do país, que chegou a ter duas sinagogas, os banhos e um hospital.
Alojamento em Évora.

8º Dia – Évora / Parque Natural da Arrábida / Portinho da Arrábida / Azeitão

 

Quinta da Bacalhoa ou workshop sobre o azulejo / Lisboa.
Em direção à capital, a Real Embrace Portugal dá-vos a conhecer uma das mais belas paisagens do país: o Parque Natural da Arrábida e a sua Serra. As praias, do concelho de Setúbal, protegidas pelo verde da serra, têm areia fina e águas transparentes. Considerada uma das sete maravilhas de Portugal, a praia do Portinho da Arrábida é um local privilegiado que oferece um cenário idílico.
Da parte da tarde, em Vila Nogueira de Azeitão, temos, como alternativa uma visita à Quinta da Bacalhoa e ao seu palácio, um dos raros exemplos da arquitetura civil renascentista em Portugal com magníficos painéis de azulejos. O tour será, para os interessados, enriquecido com uma prova do excelente vinho da quinta. Como opção propomos a visita a uma fábrica artesanal de azulejos onde, para além de aprender as técnicas de fabrico manual, poderá criar o seu próprio azulejo.
Chegada a Lisboa e alojamento.

9º Dia – Lisboa / Sintra / Azenhas do Mar / Cabo da Roca / Cascais / Estoril e Lisboa.

Sintra é uma vila singular, sedutora e romântica.
O percurso tem início no Palácio da Vila e centro Histórico, percorremos as ruas estreitas e vielas e passamos pela Quinta da Regaleira e pelo Palácio de Seteais. Entretanto, teremos a oportunidade de experimentar os deliciosos travesseiros ou queijadas de Sintra na antiga fábrica de Constância Piriquita.
Subimos a Serra de Sintra e visitamos o Palácio da Pena, um dos monumentos mais emblemáticos do romantismo português construído no século XIX pelo rei consorte de D. Maria II, D. Fernando.Deixamos Sintra e continuamos a viagem em direção a Azenhas do Mar, com o seu casario antigo, construído nas arribas e descendo em direção ao mar.
Seguimos para o Cabo da Roca, “onde a terra se acaba e o mar começa”. A cerca de 150 metros do mar é o ponto mais ocidental da Europa Continental e o mais perto do Continente americano.De regresso a Lisboa, pela costa, paramos na vila piscatória de Cascais e Estoril, antiga estância de luxo, na 1ª metade do século XX, capaz, então, de competir com as mais conceituadas do sul da Europa. O Casino Estoril e o Palace Hotel ainda hoje são obras emblemáticas desse tempo.
Chegada a Lisboa e alojamento.

10º Dia – Lisboa

A visita inicia-se na zona mais antiga e típica da cidade de Lisboa: Alfama. Percorremos as ruas estreitas e labirínticas e deixamo-nos conduzir em direção ao rio Tejo. Visitamos três, das quatro antigas judiarias: a de Alfama, a Judiaria Velha e a Judiaria Nova ou das Taracenas. Durante o percurso paramos para observar o belo portal manuelino da Igreja da Conceição Velha em direção à Praça do Comércio.
Entre lojas, artistas e cafés percorremos uma das ruas mais bonitas da capital, a rua Augusta. No Rossio, onde hoje está o Teatro D. Maria II, localizava-se o Palácio dos Estaus (Sede da Inquisição). Bem perto, no Largo de São Domingos uma placa evocativa em homenagem aos milhares de judeus vítimas do massacre de 1506.
Da parte da tarde, depois do almoço, visitamos a Sinagoga de Lisboa, Shaaré Tikvá a primeira construída de raiz desde a destruição oficial do judaísmo português em 1497. Tempo para irmos até ao Largo do Carmo, sítio repleto de História e onde, na Idade Média teria existido a mais antiga Judiaria de Lisboa, a do bairro da Pedreira.O nosso percurso continua pois, em Belém, lugar onde visitamos o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos.
O dia termina com o tão apreciado e internacionalmente conhecido “pastel de Belém”.
Alojamento em Lisboa.

[I] O percurso pode ser adaptado em função dos interesses manifestados.

Tour Prices

2.250€

2 Pessoas

+102€

Cada pessoa adicional (Máx. 7 pessoas)

  • Day 1 Lisboa
  • Day 2 Coimbra
  • Day 3 Seia
  • Day 4 Seia
  • Day 5 Belmonte
  • Day 6 Castelo Novo
  • Day 7 Gardunha
  • Day 8 Évora
  • Day 9 Sintra
  • Day 10 Lisboa

Neste tour está incluido :

  • Transporte personalizado
  • Guia exclusivo
  • Recolha no seu hotel em Lisboa
  • Free wifi e água engarrafada
  • Visitas conforme programa
  • Seguro de Acidentes Pessoais
  • Seguro de Responsabilidade Civil

O que não está incluido: Almoços ou jantares, Despesas pessoais, Quaisquer outras atividades, bilhetes para palácios ou museus ou despesas não mencionadas em “neste tour está incluído”